América Latina

Foi realizado o Fórum Regional sobre Política Educacional 2022

Com o objetivo de fortalecer as capacidades dos Estados-membros da UNESCO e contribuir para dinamizar a agenda educacional na região, o Fórum Regional - organizado conjuntamente pelo IIPE UNESCO e OREALC/UNESCO Santiago - foi realizado virtualmente de 4 a 6 de outubro e proporcionou um espaço de diálogo, consulta e reflexão entre representantes dos sistemas educacionais de quase todos os países da A

Por que falamos de uma crise de aprendizagem na região?

O primeiro painel do Fórum procurou explicar por que a região encontra-se em grande crise de aprendizagem e considerar como essa situação pode ser tratada a médio prazo. Nesse espaço, moderado pelo Chefe da Unidade de Monitoramento e Planejamento do OREALC/UNESCO Santiago, Alejandro Vera, houve uma discussão sobre as restrições que existem quando se trata de monitorar a aprendizagem.

Valtencir Mendes conduziu a sessão plenária do Fórum Regional de Política Educacional e encerrou os workshops do evento

Durante o segundo e terceiro dias do Fórum Regional, foram realizados quatro workshops focalizando diferentes eixos da política educacional: currículo, avaliação, docência e TICs. Em cada um deles, os participantes se reuniram em grupos para identificar desafios e produzir recomendações que poderiam impulsionar melhorias educacionais em cada uma dessas áreas.

Autoridades educacionais da América Latina e do Caribe discutiram a correta implementação das políticas curriculares

Moderado por Alejandra Arratia, Diretora Executiva de Educação 2020, o primeiro workshop do evento procurou analisar como as políticas curriculares podem ter um impacto na melhoria da aprendizagem. Nesse espaço, foi apontada a necessidade de pensar o currículo com uma visão holística e foram identificadas quatro dimensões básicas de análise: legitimidade, sustentabilidade, articulação e contexto.

Reformas educacionais recentes no Equador, México e Peru: alguns sucessos e erros

Em formato de roda de conversa, o painel moderado pelo Diretor do Escritório para a América Latina e o Caribe do IIPE UNESCO, Pablo Cevallos Estarellas, a ex-ministra da Educação do Equador, Gloria Vidal; o ex-secretário da Educação Pública do México, Otto Granados; e a ex-ministra da Educação do Peru, Patricia Salas O'Brien, participaram.

Fórum Regional de Política Educacional: um espaço para reimaginar o futuro da educação

O Fórum Regional de Política Educacional 2022, realizado durante a primeira semana de outubro, teve por objetivo proporcionar um espaço virtual de diálogo e trabalho entre os responsáveis pela formulação e implementação de políticas educacionais nos países da América Latina e do Caribe (ALC). Este ano, o objetivo era rever as suposições, êxitos e erros na implementação de políticas para melhorar a aprendizagem.

Caracterização dos sistemas de informação em educação na América Latina e Caribe

Este artigo foi elaborado a partir da apresentação realizada no painel «Usos dos sistemas de informação para o planejamento e a gestão de políticas educacionais», do V Fórum Regional de Política Educacional, organizado pelo IIPE UNESCO, Escritório para a América Latina, e da sistematização dos primeiros resultados de um estudo comparativo que abrange oito países da região: Argentina, Brasil, Chile, Colombia, Equador, Guatemala, Perue República Dominicana

 

O uso dos SIGEd no planejamento e gestão de políticas de inclusão educacional para pessoas em situação de mobilidade

Nos últimos anos, os países da América Latina e do Caribe foram expostos a diversas crises simultâneas. Decorrentes de fenômenos naturais perigosos, de movimentos de migração e de emergências sanitárias, econômicas e sociopolíticas, essas crises afetaram cumulativamente os sistemas nacionais de educação (UNICEF, 2020, 2021).

Sistemas de informação e gestão educacional (SIGEd) na América Latina e no Caribe

Em que estado se encontravam os SIGEdna A mérica Latina e no Caribe quando apandemia de covid-1 9 atingiu seus sistemas educacionais? Que mudançasforam experimentadas para atender àsnecessidades emergentes nesse contexto? Quais foram as principais condições para a sustentabilidade das mudanças atravessadaspelos SIGEd na região e que perspectivasde continuidade podem ser vislumbradas?