11 de fevereiro: Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência
Uma data para promover a participação plena e em condição de igualdade das mulheres e meninas na educação, trabalho e tomada de decisões no campo da ciência.
Meninas estudam matemática em Santiago do Chile

O desenvolvimento da ciência e a igualdade de gênero são fundamentais para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) incluídos na Agenda 2030. Para alcançar o acesso e a participação plena e equitativa na ciência para as mulheres e meninas, a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou o dia 11 de fevereiro como "Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência".

A data abarca importantes metas da agenda, como eliminar as disparidades de gênero na educação e garantir acesso igual a todos os níveis de educação (ODS 4) e promover o empoderamento de todas as mulheres e meninas, melhorando o uso da tecnologia instrumental, em particular as tecnologias da informação e comunicação (ODS 5).

Embora nos últimos 15 anos a comunidade internacional tenha realizado esforços para inspirar e promover a participação de mulheres e meninas na ciência, atualmente, de acordo com estatísticas divulgadas recentemente pela UNESCO, apenas 35% dos estudantes matriculados em estudos científicos são mulheres. Além disso, essa parcela enfrenta preconceitos baseados em seu gênero, o que significa que, mesmo tendo acesso à disciplina, elas continuam encontrando barreiras que impedem sua participação plena.

“Precisamos urgentemente acabar com a lacuna de gênero em ciência, tecnologia, engenharia e matemática (CTIM)”, Audrey Azoulay, diretora geral da UNESCO, e Phumzile Mlambo-Ngcuka, diretora executiva da ONU Mulheres.

Estas competencias vinculadas con la ciencia, la tecnología y la innovación, según expresan Audrey Azoulay, Directora General de la UNESCO, y Phumzile Mlambo-Ngcuka, Directora Ejecutiva de ONU Mujeres, son esenciales para las categorías laborales de más rápido crecimiento a nivel mundial, como la inteligencia artificial, el análisis de datos y la programación. Por lo tanto, es necesario combatir las desigualdades y reducir la enorme brecha de género lo antes posible.

De acordo com Audrey Azoulay, diretora geral da UNESCO, e Phumzile Mlambo-Ngcuka, diretora executiva da ONU Mulheres, as competências ligadas à ciência, tecnologia e inovação são essenciais para as categorias de emprego que mais crescem no mundo, tais como inteligência artificial, análise de dados e programação. Portanto, é necessário combater as desigualdades e reduzir a enorme lacuna de gênero o mais rápido possível.

Na região, o Escritório para a América Latina do IIPE UNESCO trabalha para contribuir para a construção de sistemas educacionais mais justos, capazes de eliminar as disparidades de gênero na educação e garantir o acesso em condições de igualdade a todas as pessoas.

 Continue lendo

Resolução A/RES/70/212 (em espanhol)

Mensaje de Audrey Azoulay, Directora General de la UNESCO y Phumzile Mlambo-Ngcuka, Directora Ejecutiva de ONU-Mujeres.

Data