Data

Transformação digital dos sistemas educacionais: os desafios para a América Latina no pós-pandemia
70 especialistas de seis países da região reuniram-se para discutir o futuro das políticas digitais na educação
Diálogo de Política Educativa

 

No dia 18 de novembro, o Escritório para a América Latina do IIPE UNESCO e o UNICEF LACRO realizaram um evento virtual de debate, consulta e reflexão sobre políticas digitais na educação. O encontro centrou-se no progresso de um estudo promovido por ambos Escritórios denominado Políticas digitais na educação na América Latina: um estudo regional comparativo, uma pesquisa que se concentra nas respostas concebidas e implementadas no contexto da pandemia de covid-19, com especial ênfase nas iniciativas destinadas à inclusão educacional de grupos sociais em condições socioeconômicas adversas.

Através desta investigação, que inclui seis estudos de caso - Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, México e Uruguai - procuramos identificar inovações e descobertas que têm potencial para serem integradas na agenda política pós-pandemia das TIC. O objetivo desta sistematização é capitalizar as lições aprendidas e a capacidade instalada no contexto da pandemia e promover o desenvolvimento de políticas digitais que fortaleçam o trabalho presencial, tornem os modelos educativos mais flexíveis e integrem as escolas na cultura digital a partir de uma perspectiva baseada nos direitos.

"Precisamos deste tipo de estudo para identificar progressos e tendências regionais que nos permitam planejar políticas digitais de educação que ajudem a reduzir as enormes lacunas que temos e que se aprofundaram com a pandemia"

Fernando Salvatierra, Especialista do Programa TIC em IIPE UNESCO e co-coordenador da pesquisa, que será publicada no primeiro trimestre de 2022

O diálogo contou com a participação de 70 especialistas da região, funcionários e representantes de organizações como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), Microsoft, Fundação Telefónica, Profuturo, Intel, Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC), Telecom Advisory Services, entre outras importantes organizações. Durante o evento, foram discutidas as respostas à situação de emergência, particularmente no que diz respeito a infraestruturas, conectividade e acesso a dispositivos; plataformas e produção de conteúdos; formação de professores; modelos pedagógicos para a inclusão de tecnologias de informação e comunicação e o acompanhamento das trajetórias dos estudantes. Foi explorada a articulação entre as respostas implementadas durante a pandemia e as políticas digitais anteriores à crise sanitária. O evento também abordou as estratégias para a concepção, implementação e gestão de políticas públicas; os processos de tomada de decisão na formulação de respostas no contexto de emergência; e os modos de implementação das linhas de ação.

Os eixos temáticos apresentados foram abordados em profundidade em mesas de trabalho, grupos de discussão nos quais foram desenvolvidas recomendações sobre estratégias e políticas públicas com a intenção de orientar os governos na tomada de decisões sobre a inclusão das TIC no âmbito da educação a curto e médio prazo.