COVID-19

O que as autoridades da região propõem para a reabertura segura das escolas?

Mais de 60 servidores da educação da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela se reuniram para discutir as dificuldades enfrentadas ao longo de 2020 e para elaborar propostas em torno de cinco eixos essenciais para a reabertura segura de escolas: segurança e infraestrutura, recursos humanos, acesso às TIC e conectividade, sistemas de informação e financiamento educacional.

UNESCO revela perda aproximada de 2/3 de um ano letivo em todo o mundo devido à COVID-19

Um ano após o início da pandemia da COVID-19, mais de 800 milhões de alunos – o equivalente a mais da metade da população estudantil mundial – ainda enfrentam grandes interrupções na sua educação, desde o fechamento total de escolas em 31 países até a redução de horas letivas em outros 48, de acordo com novos dados publicados no mapa de monitoramento interativo da UNESCO.

Autoridades da região propõem ações para a inclusão de crianças e adolescentes migrantes da Venezuela

Convocados pelo Escritório para a América Latina do IIPE UNESCO e pelo Escritório Regional para a América Latina e Caribe do UNICEF (UNICEF LACRO), com o apoio da Education Cannot Wait, autoridades dos ministérios da educação do Brasil, Colômbia, Equador e Peru, bem como representantes do UNICEF, da UNESCO e da sociedade civil ligados à educação, reuniram-se para refletir sobre políticas de inclusão educacional da população migrante venezuelana.

Novas salas de debate na Rede de Especialistas em Política Educacional da América Latina

Com o propósito de dar continuidade aos debates iniciados no Fórum Regional 2020: “Inclusão e educação em tempos de pós-pandemia”, a Rede de Especialistas em Política Educacional do Escritório para a América Latina do IIPE UNESCO realizou sete salas de debate. Organizados na modalidade online, os encontros aconteceram entre os dias 17 de novembro e 11 de dezembro de 2020.

Dia Internacional das Meninas: como elas vivem os efeitos da crise de COVID-19

O relatório sobre gênero contido no Relatório de Monitoramento da Educação no Mundo da UNESCO de 2020 mostra que 180 milhões de meninas puderam ter acesso à educação primária ou secundária desde 1995, e o número de alunas na educação superior triplicou nos últimos 25 anos. No entanto, somado às desigualdades que ainda persistem, meninas do mundo todo agora veem seu direito fundamental à educação ameaçado pelos efeitos da pandemia de COVID-19.